domingo, 5 de novembro de 2017

Educação e treinamento para corridas




Ernani de Freitas, apenas uma palavra, MESTRE.

As considerações abaixo são pensamentos de Guillermo Young e também fruto das memórias de minhas conversas com esse outro mestre, na minha juventude era frequente minhas visitas em sua cocheira para ver o "meu" tordilho Orpheus, sendo sempre muito bem recebido e honrado com seus ensinamentos. 


Orpheus





Não é apenas a seu sangue, físico e criação que um cavalo de corrida deve seu sucesso nas pistas, a doma, educação e treinamento são elementos fundamentais em sua atuação futura. Alguns potros ágeis e precoces se apresentam rapidamente e encontram-se em condições de corrida muito cedo. Mas de forma geral os mais precoces costumam ser os mais temperamentais e naturalmente se desgastam mais nos treinos e nas corridas, portanto é necessário que sejam trabalhados com muita cautela e mesmo sacrificar em seus primeiros tempos inscrições em corridas que a julgamento de seu treinador e proprietário estejam a sua mercê, os fazer participar em seus inícios de poucas corridas é fundamental para que se façam tranquilos e percam todo seu natural receio. Lamentavelmente alguns potros que debutam bem são corridos com demasiada frequência sem o devido descanso, sendo o resultado mais que desgaste físico e sim uma surmenage produzida por excesso de excitação nervosa tão comum nos animais jovens que por vezes termina em sua total perda, sobretudo se ele tiver temperamento muito vivo e consequentemente ter que sustentar em muitas corridas severa luta com outro ou outros produtos. É por essa circunstância que tantos potros de verdadeira promessa desaparecem de forma frequente do cenário hípico durante os primeiros meses da temporada clássica. No caso dos exemplares de temperamento apático e tranquilo para se evitar os males resultantes da necessidade de recorrer a rigor durante os exercícios em privado e de esforços prematuramente feitos, por vezes é interessante os debutar mesmo verdes para completar seu treinamento e educação em corrida, correndo os como é natural com o propósito de ganhar mas com o seu jóquei instruído para não os castigarem ou os surpreenderem com severa exigência de pernas e calcanhares se for evidente a impossibilidade de vitória, o castigo brutal é negativo para animais já erados  e se isso passa com veteranos é de se imaginar o que sucede na psique de um potro para os quais as corridas, o ruído do público, de carros, campainhas resultam como uma série de novidades que os tomam de surpresa e para as quais é necessário os habituar sempre lidando com toda suavidade e doçura que seja possível. O produto assim educado perde rapidamente de forma geral todo temor exagerado tranquilizando-se no prado e criando as condições para que se transforme em um bom cavalo de corridas desde que possua evidentemente as qualidades indispensáveis para tal.