quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Velocidade - primeira parte



The Tetrarch.


Após postagem sobre Wenzel Blade a minha vontade foi de continuar escrevendo sobre cavalos como Desejado Thunder, Mensageiro Alado... enfim, velocidade, tema que se apresenta como uma inesgotável fonte de paixão na criação do PSI, mas sem esquecer de comentar en passant esses expoentes de outro tipo de velocidade que são os milheiros extra-classe que constantemente o turfe brasileiro nos brinda e no universo do segundo plano ao qual o criador brasileiro relega os garanhões nacionais eles ocupam um limbo entre os ditos “clássicos” e os sprinters, ou seja, se nossos clássicos e sprinters são pouco prestigiados o que falar então de nossos milheiros. Mas recebi diversos e-mails com dúvidas quanto ao real valor do papel da velocidade num cruzamento com a expectativa de se chegar ao animal "clássico", como o criador brasileiro no passado só tinha capacidade financeira para adquirir animais de primeiro time para reprodução dentro do perfil Stout ou Profissional, salvo raríssimas exceções como King Salmon, Swallow Tail, Sayani, Coaraze, Sandjar e mais um ou outro, foi criada essa memória de que o melhor para se atingir os clássicos 2400 metros é a utilização do que se encontra a direita em dosagem, o que não é errado pois esse era o pensamento de Tésio e com o qual obteve seu estrondoso sucesso, porém ele nunca esqueceu de pincelar seus pedigrees com doses de velocidade; mas os tempos são outros e as exigências também, apesar das dúvidas sobre velocidade que me foram enviadas existe hoje uma tendência quase que dogmática de se trabalhar essencialmente com linhagens à esquerda, o que fatalmente irá cobrar seu preço adiante, devemos lembrar um aspecto de vida fundamental para se conseguir a excelência e essa palavra mágica chama-se "EQUILÍBRIO", vai chegar o dia no qual os raros Sólidos e Profissionais se converterão em moeda de luxo; honras ao turfe alemão que com seu pragmatismo é o atual grande mantenedor de PSI com 100% saúde livre de medicação e linhagens consistentes. Voltando ao nosso tema os milheiros e sua velocidade são peças fundamentais para se chegar a primeira linha da raça e trataremos deles nessa nossa conversa sobre brilhantismo e suas formas já que sprinters e milers são oriundos da mesma nascente; sem maiores pretensões pretendo expor algumas idéias, que não são minhas mas com as quais compactuo, elas representam o fruto do somatório de conhecimentos dos grandes mestres do passado que tanto influenciaram no aprimoramento e entendimento da raça PSI.

Resumindo, a busca é a obtenção do "creme de la creme" da raça, os chamados TRANS-BRILLIANT ou INTERMEDIATE, aqueles excepcionais cavalos que servem de "liga" entre as características pure brilliant e classic que possuem em THE TETRARCH seu paradigma. 


SE O SEU CAVALO É  MELHOR QUE OS OUTROS, O BOM LUGAR PARA ELE ESTAR É NA FRENTE. “

George Lambton




continua...






sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Haras São Miguel

Agradecemos o patrocínio do Haras São Miguel que apóia a utilização do bom cavalo em pistas na reprodução, independente de ser nacional ou estrangeiro.





O Haras São Miguel que encontra-se em fase de instalação em Teresópolis, Rio de Janeiro irá seguir a filosofia do grande criador Julio Cápua no seu Haras Vale da Boa Esperança, o conceito do "haras bibelot", aquele centro de criação próximo e sob supervisão direta e assídua de seu proprietário, a região serrana do Rio de Janeiro possui boa vocação para essa atividade com água e clima reconhecidamente apropriados ao PSI desde que alguns parâmetros sejam respeitados, para os 20 hectares de pastos do Haras São Miguel existe o planejamento de um limite máximo de 9 matrizes criando para defesa de stud próprio, o hoje tão em moda "Menos é Mais". Vivenciei o "boom" de haras no Rio de Janeiro e o grande problema que liquidou com a criação no estado foi o total desequilíbrio entre tamanho de propriedade e alta carga animal, ou seja, criadores querendo possuir grandes plantéis em áreas de tamanho inapropriado para tal lotação, as propriedades para fins de rotação de pastagens eram subdivididas em muitos piquetes mínimos que não possibilitavam condições da potrada galopar e se desenvolver adequadamente, plantéis de 20 éguas em áreas girando pelos 10 hectares de pastagens, pasmem, era o inacreditável modelo da região. O sucesso de poucos haras na serra fluminense sempre esteve diretamente relacionado a uma harmonia entre tamanho total de plantel e área disponível; Hyperio, Sabinus, Ribol, Polyway, Parnaso, Robie, Sparkie, Daião, Old Master, Serradilho, Juanero, Latino, Leonino, Nagami, Hula Hoop, Homard, Freddy Boy, Horobiov, Jolie Reine, Caelum, Waladon entre tantos outros atestam a possibilidade de se criar bons animais nessa região.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Wenzel Blade




Wenzel Blade, tordilho, MS, 2011, por Blade Prospector em Miss Paraguay por Punk, criação do Haras Ponta Porã e propriedade do Stud Fenômeno, correu dos 3 aos 5 anos em 20 oportunidades não escolhendo entre areia ou grama, tendo vencido 14 vezes, se colocando em outras 5 e só se descolocou em sua última apresentação quando sentiu e foi retirado para a reprodução,  é um dos maiores sprinters brasileiros de todos os tempos, primeiro no rating de velocidade na América do Sul e vencedor do GP Major Suckow, G1 e GP ABCPCC, G1, entre outros. Seu pai Blade Prospector, um arenático que em 11 apresentações no Brasil obteve 6 vitórias e 3 colocações, sendo o recordista nos 1300 metros – areia em Cidade Jardim, levado aos EUA venceu o Berkeley Handicap, G3, D, 1300 metros, foi segundo no San Carlos Handicap, G3, D, 1400 metros, 4. Metropolitan Handicap, G1, D, 1600 metros e 4. Pat O’ Brien Handicap, G2, D, 1400 metros é considerado um fenômeno como reprodutor nas canchas retas, seu filho o invicto West by East é recordista nacional para os 700 metros – 37”4/10 e dito como o melhor velocista brasileiro em cancha reta de todos os tempos, apesar de majoritariamente seus filhos serem direcionados para as pencas apresentou bons ganhadores em hipódromos oficiais, além de Wenzel Blade podem ser citados In Fraganti 1. GP Mariano Procópio (G3), Fui Também 1. GP Maroñas (G3) – Uruguai, Vision of Factory 1. GP Antonio Carlos Amorim (G3) entre outros. Wenzel Blade tem como avô materno o notável velocista argentino Punk que embora possa ser considerado um puro sprinter apresenta em seu pedigree elementos de velocidade em distância, Punk foi um potro que apresentava velocidade explosiva ao iniciar seu treinamento e por questões de temperamento totalmente incapaz de fazer curvas sendo então especializado para os 1000 metros em reta onde tornou-se soberano, apesar de também sua produção ser preferencialmente direcionada para as pencas deve-se destacar o notável Quari Bravo como seu grande produto. A linha materna de Wenzel Blade é extremamente vitoriosa na produção de velocidade, Brenda's Storm sua avó materna além de mãe de excelentes penqueiros como Neutron Storm, Orgulho Paraguaio e Quick Cash é vencedora de 14 carreiras e recordista paraguaia para os 600 metros – 33” 13/100, dentre suas vitórias destaca-se o GP Ciudad de Asunción – Paraguai, mais as pencas F1 de Dourados e Ponta Porá, sua terceira mãe Mile Stone também foi uma grande mãe de penqueiros e mãe de Fortyfour Bullet, outro importante ventre difusor de velocidade, os "Bullet".


Blade Prospector.




Wenzel Blade em sua vitória no GP Major Suckow.




                                                   Campanha

2014

3 anos

01. Prêmio Haras Flamboyant Paulista, 1000 metros, GF, São Paulo,
01. Prêmio Rainbow-Dancer, 1000 metros, GF, São Paulo,
01. Prêmio Red and Black, 1100 metros, AP, São Paulo,

2015

3 anos

01. Pesos Especiais Pura Classe, 1000 metros, GM, São Paulo,
01. Prova Especial Helíaco, 1100 metros, AE, São Paulo,
01. Grande Prêmio ABCPCC, G1, 1000 metros, GM, São Paulo,
01. Pesos Especiais Alegria de Pobre, 1000 metros, GP, São Paulo,

4 anos

2. GP Copa ABCPCC Mario Belmonte Moglia – Velocidade, G3, 1000 metros, GM, São Paulo,
3. Clássico Presidente Marcio Corrêa de Toledo, L, 1000 metros, GB, São Paulo,
1. GP Proclamação da República. G2, 1000 metros, GP, São Paulo,

2016

4 anos 

1. Clássico Thomaz Teixeira de Assupção Junior, L, 1200 metros, AP, São Paulo,
1. Clássico Presidente Carlos Paes de Barros, L, 1000 metros, GM, São Paulo,
1. GP ABCPCC, G1, 1000 metros, GB, São Paulo,
1. GP Major Suckow, G1, 1000 metros, GP, Rio de Janeiro,

5 anos
1.GP Copa ABCPCC Mario Belmonte Moglia - Velocidade, G3, 1000 metros, GM, São Paulo,  
1. Claiming Ciro Frare, L, 1200 metros, AS, Curitiba,
2. Clássico Presidente Marcio Corrêa de Toledo, L, 1000 metros, GM, São Paulo,
1. Grande Prêmio Proclamação da República, G2, 1000 metros, GP, São Paulo,         
2017 
5 anos

1. Clássico Thomaz Teixeira de Assumpção Junior, L, 1200 Metros, AMR, São Paulo,
9. Grande Prêmio ABCPCC, G1, 1000 metros, GP, São Paulo.

Wenzel Blade é uma grande esperança na manutenção da velocidade de seu pai Blade Prospector e de seu avô materno Punk, sem esquecermos de sua linha ventral que sustenta esse brilhantismo no mais alto grau de excelência. Acreditamos que caso ele seja prestigiado por nossos criadores é plena a possibilidade de que seja fundada uma vertente brilliant brasileira, entendemos também, que com éguas apropriadas Wenzel Blade apesar de ter sido um sheer brilliance em pistas como também o foram seu pai Blade Prospector e avô Punk reuna os meios para transmitir velocidade elástica a seus produtos e portanto a possibilidade de que eles possam alcançar maiores distâncias com sucesso tal como seu avô materno Punk provou quando ao cruzar égua com maior equilibro gerou o fora de série Quari Bravo, Punk nos deixou a impressão como reprodutor de não ser um pure-brilliant e sim um trans-brilliant, esperemos que essa característica se perpetue em seu neto... Wenzel Blade é um típico e digno representante da tribo fundada por Mr Prospector e consequentemente deve ser respeitado como tal.



Problemas técnicos





Informo aos amigos leitores que enfrentamos por um período problemas técnicos no blog relacionados a cor de fundo das letras, que de branco mudavam automaticamente para preto no ato da postagem e a correção era impossível de ser feita, consideramos que a cor preta não tornava a leitura agradável e nos abstivemos de novas postagens até o problema ser resolvido e a ferramenta apropriada voltasse novamente a funcionar. Cordialmente.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Time for Fun



Time for Fun, castanho, PR, 2004, por Yagli em Tarradine por New Colony, nascido e criado no Haras São José da Serra, sendo propriedade de um condomínio. Correu dos 2 aos 6 anos e venceu dos 1900 aos 3000 metros não escolhendo raia, animal de extrema saúde foi o líder de sua geração no hipódromo da Gávea mostrando-se corredor extremamente consistente. Seu pai Yagli se apresentou ao turfe nacional como uma excelente opção para aporte de classicismo ao nosso estoque genético e deve ser considerado um "Quality Sire" em nosso élevage, é pai de dois derby-winners, o agora comentado Time for Fun (Derby carioca) e Gober (Derby paulista), e, entre outros, Bubbly Jane (GP Margarida Polak Lara – Taça de Prata, G1; GP Diana, G1) e Grand I Ask (GP OSAF, G1), como parelheiro está entre os garanhões importados com maior soma em prêmios levantada, U$ 1.702.121,00, correu dos 3 aos 7 anos vencendo 10 provas dos 1.600 aos 2.200 metros, onde destaca-se:

1.Gulfstream Park Breeder’s Cup H., G1, 2200,G
1.Manhattan Handicap, G1, 2200, G,
1.United Nations H., G1, 2200,G,
1.Belmont Breeder’s Cup H, G2, 1800, G,
1.Dixie Stakes, G2, 1800, G,
1.Hialeah Turf Club H, G3, 1900, G,
1.Bernard Baruch H, G2, 1700, G,
2.Breeder’s Cup Turf, G1, 2400, G,
2.Hollywood Tuf Cup Stakes, G1, 2400, G,
3.King Edward Breeder’s Cup H., G2, 1800, G,
3.Woodford Reserve Turf Classic Stakes, G1, 1800,G,
3.Turf Classic Stakes, G1, 1800, G,
3.Bougainvillea H, G3, 1800, G.

New Colony avô materno de Time for Fun foi corredor de muito bom padrão para parâmetros de importados ao Brasil sendo vencedor de G2 e G3, na reprodução foi um reprodutor honesto cujo melhor filho é Gorylla (GP Carlos Pellegrini, G1) e começa a se apresentar como avô materno de interessante valor, sendo principalmente um transmissor de stamina.

Time for Fun pertence a uma das mais pujantes linhas maternas em atividade no turfe brasileiro tendo como sua segunda mãe Tavira, importante égua-mãe de nosso turfe e tudo indica que ela esteja fundando uma estirpe de enorme vigor em classicismo, para maiores informações de sua tribo consultar em nosso blog o tópico sobre seu filho Top Hat.

http://purosanguedecorrida.blogspot.com.br/2017/08/top-hat_26.html


Yagli.




Time for Fun em sua vitória de ponta a ponta no GP Cruzeiro do Sul - Derby brasileiro     

                                  


                                                         Campanha:

2007

2 anos

8. Prêmio Londrina, 1500 metros, GB, Rio de Janeiro,
6. Prêmio Courageuse, 1400 metros, AP, Rio de Janeiro,

3 anos

2. Prêmio Romarin, 1900 metros, AMR, Rio de Janeiro,
2. Prêmio Bororo, 2000 metros, GB, Rio de Janeiro,
1. Prêmio Ayacucho, 1900 metros, Rio de Janeiro, AB, Rio de Janeiro,
2. Prova Raphael de Especial Souza Paiva, 2400 metros, GB, Rio de Janeiro,
1. Prêmio Louco das Patas, 1900 metros, AP, Rio de Janeiro,
5. Prêmio Cruzador, 1900 metros, AB, Rio de Janeiro,
8. Grande Prêmio Francisco Eduardo de Paula Machado ***, G1, 2000 metros, AP, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio Cruzeiro do Sul – Derby brasileiro ***, G1, 2400 metros, GP, Rio de Janeiro,

4 anos

1. Grande Prêmio OSAF, G2,  2400 metros, GP, Rio de Janeiro,
19. Grande Prêmio Brasil, G1, 2400 metros, GB, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio Doutor Frontin, G2, 2400 metros, GM, Rio de Janeiro,
8. Grande Prêmio Criadores e Proprietários de Cavalos de Corrida de São Paulo, G3, 2400 metros, GP, São Paulo,
2. Grande Prêmio Almirante Marquês de Tamandaré, G3, 2400 metros, AP, Rio de Janeiro,
4. Seletiva GP Latino-americano, 2000 metros, GP, São Paulo,
1. Grande Prêmio Arthur da Costa e Silva, G3, 1900 metros, AP, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio João Borges Filho, G2, 2400 metros, GL, Rio de Janeiro,
18. Grande Prêmio São Paulo, G1, 2400 metros, GP, São Paulo,

5 anos

7. Grande Prêmio Brasil, G1, 2400 metros, GP, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio Doutor Frontin, G2, 2400 metros, GB, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio Antonio Joaquim Peixoto d Castro Junior, G2, 2400 metros, GM, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio Almirante Marquês de Tamandaré, G3, 2400 metros, GP, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio Arthur da Costa e Silva, G3, 2000 metros, GP, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio João Borges Filho, G2, 2400 metros, GM, Rio de Janeiro,

6 anos

7. GP Dezesseis de Julho, G2, 2400 metros, GM, Rio de Janeiro,
1.GP Associação Brasileira de Criadores e Proprietários de Cavalo de Corrida – Taça Stud Book Brasileiro, G2, 3000 metros, GM, Rio de Janeiro,
3. Grande Prêmio Doutor Frontin, G2, 2400 metros, GM, Rio de Janeiro,
1. Grande Prêmio Almirante Marquês de Tamandaré, G3, 2400 metros,  GM, Rio de Janeiro.

Recém iniciado na reprodução Time for Fun em 3 diminutas gerações estreadas tem em Kilimanjaro (4 vitórias e 5.GP Brasil) seu melhor produto. É de nosso entendimento que apesar de Time for Fun ter um pedigree apto a vários cruzamentos optaríamos por éguas que apresentem pedigree com maior grau de brilhantismo, provavelmente filhas de Pitu da Guanabara, Punk, Mensageiro Alado, Pico Central e Desejado Thunder sejam cruzamentos interessantes.



 

sábado, 2 de setembro de 2017

Jaspion Silent



Jaspion Silent embarcando em Cidade Jardim para seu reaparecimento na Gávea.





Jaspion Silent em seu reaparecimento vitorioso.


Apesar de sermos um blog destinado a comentar sobre reprodutores é com satisfação que abrimos essa exceção para celebrarmos com a comunidade turfística a volta em grande estilo de um dos líderes incontestes de sua geração, que após sua vitória no GP São Paulo sofreu contratempos sendo afastado das pistas por 3 anos e 5 meses para cura e...

VALE A PENA VER JASPION SILENT EM SUA VOLTA AS PISTAS! 


Fica aqui nosso parabéns a dona Sonia Samaja que nunca deixou de acreditar em seu cavalo, a todo staff do Haras Santo Ângelo envolvido em sua recuperação e ao treinador Ivan Jeronimo pelo excelente trabalho, o cavalo além de lindo voltou voando.

AGORA É O BI NO SÃO PAULO!

Jaspion Silent vencendo o Grande Prêmio São Paulo 2014



O élevage nacional aguarda ansioso a entrada dessa máquina na reprodução.